Archive for the 'Cultura' Category

25
abr
13

Andrea Neves: artistas do Voz do Morro recebem CDs e DVDs

Andrea Neves: presidente do Servas anunciou que a etapa de shows deverá ocorrer ainda no primeiro semestre.

Andrea Neves: Vozes do Morro

Fonte: Servas

Show do Vozes do Morro será ainda no primeiro semestre

Andrea Neves e os participantes do Vozes do Morro

Andrea Neves e os participantes do Vozes do Morro

presidente do ServasAndrea Neves da Cunha, recebeu, os 13 artistas solo/bandas selecionados do Programa Vozes do Morro 2011/2012 para a entrega dos CDs e DVDs de sua produção musical.

Na ocasião, a presidente do Servas anunciou a realização do show de encerramento dessa etapa do Vozes do Morro, ainda no primeiro semestre, quando cada selecionado deverá apresentar novas produções.

Os selecionados, moradores de vilas, favelas e aglomerados dos 34 municípios da Grande BH, tiveram sua música divulgada, por meio de clipes e spots, o que, segundo avaliação dos músicos, impulsionou suas carreiras, com agenda de shows, apresentações, inclusive no exterior, como relatou, nesse encontro, sambista Fabinho do Terreiro. Já a dupla sertaneja, Vanderli & Wardel relatou o sucesso trazido pelo Vozes do Morro, com apresentações em todos os estados brasileiros.

Uma iniciativa do Servas, Governo de Minas e Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão de Minas Gerais/SertMG, o Vozes do Morro seleciona – por  meio de um júri integrado por músicos, críticos e especialistas do universo cultural e musical de Minas – e divulga  criações musicais inéditas e todos os gêneros.

Reconhecimento público

Dimas, integrante do Grupo Aliados do Senhor, banda de rap/gospel; de Betim, avalia que ”para o grupo, o Vozes do Morro foi um marco, em relação ao que era o grupo antes . Foi um plus, e nós só temos a agradecer”, disse, durante encontro no Servas, quando recebeu as cópias de sua produção musical em CD e DVD.

“O Vozes do Morro, é uma ótima oportunidade de mostrar o nosso trabalho, fiquei muito feliz em ter participado, pois produzi o meu primeiro vídeo clip, ajudando assim na interiorização do meu trabalho”, disse Evandro Emeci, artista solo, do gênero hip hop, do Alto Vera Cruz, em BH.

Fabinho do Terreiro, sambista do Bairro Esplanada, em BH, garante estar “ muito feliz com o Programa pois, por meio dele, pude divulgar o meu trabalho, e estou viajando por várias cidades do Brasil, tendo o meu clipe divulgado também fora do país.’’

Lucio Monteiro artista que se dedica ao infantil, oriundo da Vila Cristina, em Betim registra que, com sua “participação no Vozes do Morro, muitas portas foram abertas, recebendo convites para inúmeras apresentações”.

“Só tenho a agradecer ao Servas por este projeto, que me abriu tantas portas, disse Marcello Matos, artista solo, do gênero sertanejo, de Ribeirão das Neves, ao receber os CDs e DVDs para divulgação de seu trabalho.

Rannah, banda de pop/rock; do Bairro Bom Jesus, em BH, tem 5 componentes e Pedro falou em nome do grupo: “antes do Vozes do Morro, trabalhávamos de forma independente, mais nada perto da grandiosidade que foi depois que conseguimos nos classificar no programa, dando outra dimensão do nosso trabalho, tendo a possibilidade de fazer um clip, o que, com certeza engrandeceu o nosso trabalho.’’

“O Vozes do Morro foi um dos maiores incentivos à cultura aqui em Minas Gerais, um verdadeiro impulso para as pessoas que não tinham condições de mostrar o seu talento. A meu ver, o projeto é uma perfeição”, , sendo ao meu ver, uma perfeição de Projeto”, disse Ralfe Rodrigues, do bairro Bandeirantes, em Sabará, artista solo de MPB.

Suelen, integrante do Matição Tambor de Matição, banda de MPB/regional de Jaboticatubas que tem 8 componentes”. O Programa Vozes do Morro nos deu muita visibilidade. Nunca tínhamos imaginado gravar um clipe, e ser assistido por tanta gente, gerando assim um reconhecimento do nosso trabalho”, disse ela, em nome do grupo.

O Raça DMCS, banda de rap, de Betim, tem 3 componentes eTula, falou em nome do grupo: “O Vozes do Morro abriu até mesmo que, muitas vezes, foram fechadas para nós. Tem sido uma grande experiência que nos deu uma visão mais ampla e profissional. O grupo ganhou mais espaço e temos o nosso trabalho reconhecido.’’

Para Vanderli e Wardel, dupla sertaneja, do Aarão Reis, em BH, “o projeto representa a divulgação do seu trabalho e o reconhecimento, sempre positivo, do público”.

Em 2011/2012 também foram selecionados pelo Vozes do Morro e estão atuando: Douglas e Leon, dupla sertaneja da Vila Pinho, Barreiro, em BH;  Nascidos do Samba, banda de samba/pagode, do Beco Cristal/Santa Teresa, em BH e, com 3 integrantes, a banda Sem Meia Verdade, gênero rap/hip hop, do São Gabriel, em BH.

Veja também: https://www.facebook.com/ServasMG?ref=tn_tnmn

Anúncios
13
jan
12

Nas redes sociais: Andrea Neves lança blog para partilhar experiências pessoais e falar das coisas do mundo

Publicado pela  Redatores da Turma do Chapéu

Andrea Neves estreia seu blog pessoal e perfis nas redes sociais

Reprodução do blog de Andrea Neves

Está no ar o blog da jornalista e presidente do Serviço Voluntário Social de Assistência Social(Servas), Andrea Neves. Nos primeiros posts, impressões sobre o projeto Secrets, de Frank Warrem, vídeos da marcha pelos direitos civis em Washington e projetos do terceiro setor tocados pelo Servas.

Abaixo, o texto de apresentação em que ela conta a motivação de fazer o blog.

Há muito tempo escuto de diversos amigos a mesma sugestão: por que você não faz um blog?

Para quem demorou muito até para ter e-mail, a sugestão sempre me pareceu um pouco descabida.

Pertenço àquela pequena parte da minha geração para quem, por mais que nos esforcemos, o mundo virtual ainda não oferece a intimidade e o conforto do velho papel.

Somos visitas nesse novo mundo, não moradores, por isso quando disse a alguns amigos que pretendia fazer um blog , houve muita surpresa.

Sobre política? Perguntaram alguns.
Não necessariamente, eu respondi.

Sobre comunicação? Perguntaram outros.
Não necessariamente.

Sobre o terceiro setor? Arriscaram outros.
Não necessariamente, continuei a responder.

Sobre o que você vai escrever? Era a pergunta que eu entreouvia no silêncio curioso de cada um.

Sou uma pessoa privilegiada no sentido de que as minhas circunstâncias tem me permitido fazer o que eu gosto. Acredito no que faço e faço com paixão.

Tornou-se comum citar Ortega e Gasset em “eu sou eu e as minhas circunstâncias”.

A política, a formação profissional e o trabalho em comunicação, assim como o trabalho na área social são minhas circunstâncias.

Aqui gostaria de ir além delas.

Por que então, agora, fazer um blog que não é exclusivamente de trabalho ou opinião?

Não sei exatamente.

Mas penso que para organizar e guardar pensamentos, memórias e lembranças. Ideias para mim e para os outros. Para partilhar.

E, quem sabe, para confirmar a antiga teoria que diz que a gente lê para provar que nunca esteve sozinho.

Vai ver a gente escreve também para isso.

Contei à minha filha e ao meu marido sobre a idéia do blog.

Meu marido perguntou apenas: onde você vai achar tempo para escrever?

Minha filha observou: mas se você não vai falar de política, de comunicação nem do seu trabalho na área social, ninguém vai querer ler…

Como diria o Ancelmo: faz sentido…

Junto com o blog, Andrea Neves está estreando também no Facebook, no Twitter e noYouTube. Para quem quiser conferir, seguem os links:

02
dez
11

Andrea Neves acompanha gravação do Playing for Change que escolheu artistas do Vozes do Morro para participar do próximo DVD

Fonte: TV Servas

Pela segunda vez no Brasil, o Playing for Change escolheu o Vozes do Morro – programa de iniciativa do Servas – e gravou, no dia 26 de novembro, na Barragem Santa Lúcia (Morro do Papagaio) com Tom Nascimento e Rafael Dias, selecionados de 2008, para incluir no próximo DVD da banda, projeto que une músicos de rua do mundo inteiro em torno de clássicos pop.

Entre outras ações em conjunto com o Servas, artistas do Playing for Change se apresentaram, no dia 23 de novembro no Centro Mineiro de Referência em Resíduos — CMRR, na programação do 10º Festival Lixo e Cidadania, com palestra e pocket show para cerca de 1.000 catadores de todo o país, reunidos na Capital.

No dia 24, ministraram oficina na obra social da Maria Pretinha, banda de pop rock, selecionada do Vozes do Morro de 2008, que atende 200 crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social no Bairro São Bernardo. Ainda no dia 24, os artistas do playing for Change se apresentaram para os jovens do Programa Valores de Minas, programa social do Servas que oferece oficinas de arte cultura (teatro, música, dança, artes plásticas, etc.)

Conheça outro vídeo do Playing for Change

27
nov
11

Projeto internacional, que promove a integração social pela música, grava episódio com artistas do Vozes do Morro

20111127-105258.jpg

Projeto mundial conhecido como Playing for Change, que pode ser visto aqui com o vídeo “Stannd by me”, gravado por artistas de rua de todo o mundo, está em Belo Horizonte, onde gravou a sua mais recente edição, neste sábado, com os artistas Tom Nascimento e Rafael Dias, integrantes do programa Vozes do Morro.
O projeto Playing for Change tem como objetivo buscar a transformação social e a integração das pessoas através da música.
O Vozes do Morro é um programa do Servas e do Governo de Minas, presidido por Andrea Neves, que mobiliza as comunidades e incentiva a criação de laços que unem as pessoas, sem distinção do lugar em que vivem, da religião que praticam, da profissão que eventualmente exercem.
Lançado em 2008 pelo governador Aécio Neves, o programa tem participação de moradores de vilas, favelas e aglomerados de Belo Horizonte – e de Ibirité, Ribeirão das Neves e Santa Luzia, municípios da Região Metropolitana de BH com mais de 100 mil habitantes e IDH-renda inferior a 0,65.
Artistas/bandas selecionados a cada ano, sem restrição a nenhum gênero musical, além de receberem cópias de CDs e DVDs com gravações de suas músicas, participam de um grande show que celebra cada etapa do Programa.

18
jul
11

Affonso Romano de Santanna cita Andrea Neves em artigo e ressalta a importância de Minas em criar condições para sonhar o futuro

Nos degraus do palácio

Fonte: artigo Affonso Romano de Santanna – Estado de Minas

Assentei-me num dos degraus da entrada do Palácio da Liberdade. José Murilo de Carvalho – esse notável historiador – estava em pé. Disse-lhe: “Senta que isso também é história”. Ele assentou. Vínhamos de uma intensa reunião lá dentro. Sentar na escada, sobretudo de um palácio, é uma temeridade. Apareceu Ziraldo e foi alegremente se ajeitando no degrau. Daí a pouco apareceu Tadeu Barreto, responsável pelas estratégias do governo Anastasia, e se sentou. E Andréa Neves, com sua inquieta criatividade, também se assentou conosco. Não sei se o Giovani Gãvio, que jogou 414 vezes pela Seleção de Vôlei, estava ali, nem quantos éramos naquela manhã de sol, quando até Álvaro Teixeira da Costa, dos Associados, convocado, uniu-se à assembleia dos sentados na entrada do palácio.

Bem, nessas alturas, eram também inúmeros os fotógrafos e cinegrafistas que nos flagravam como um bando de colegiais no dia da formatura, simplesmente sentados nos degraus de entrada do palácio. Quem passasse ao largo talvez achasse estranho aquelas pessoas ali. Não mendigávamos. Ao contrário, estávamos ali para dar, para oferecer, para contribuir para um novo plano estratégico que integrasse ainda mais governo e sociedade.

Aquele era um bando de sonhadores inveterados. Não é à toa que, entre empresários e administradores, ali também estivessem, por exemplo, o estilista Ronaldo Fraga, o cantor Samuel Rosa, do Skank, Fernando Brant, Teresa Santos e Ângelo Machado.

Durante um seminário informal, lá dentro do palácio, havíamos ouvido as pesquisas feitas por Carla Manyuni sobre o tema “Com o que sonha hoje o jovem brasileiro?”. Não é de hoje que se tenta dar concretude aos nossos sonhos. Durante a ditadura, propus que se criasse o Ministério dos Sonhos, para saber o que queria o povo brasileiro, pois Dops e SNI não davam conta disso.

Enquanto a Europa, em crise, treme nas bases, enquanto os EUA perdem terreno para a China, o Brasil vive, apesar da corrupção e da violência, um momento raro de esperança. Minas tem um papel especial nisso. Não apenas porque ajudou a forjar o passado da nação, mas porque tem agora condições excepcionais para sonhar o futuro.

Afinal, é preciso sonhar para que o real se realize.

27
maio
10

Descontração: Andrea Neves e Aécio Neves no flash mob na inauguração do Circuito Cultural Praça da Liberdade

Andrea e Aécio Neves no flash mob na inauguração do Circuito Cultural Praça da Liberdade em março deste ano




novembro 2017
S T Q Q S S D
« jan    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

%d blogueiros gostam disto: