Posts Tagged ‘Aécio Neves

16
jan
14

Andrea Neves atuará na equipe de comunicação do senador Aécio

2014: Aécio disse que a irmã “vai assessorar e ajudar a trazer ideias”.

Eleições 2014: Aécio presidente

Fonte: Folha de S.Paulo

Irmã de Aécio deixa cargo para entrar na campanha

Andrea fará parte da equipe de comunicação 

Irmã do senador Aécio Neves (PSDB-MG), a jornalista Andrea Neves antecipou sua saída da presidência do Servas (Serviço Voluntário de Assistência Social), cargo que ocupava desde 2003, para entrar na campanha do irmão.

O tucano afirmou ontem que Andrea já atua em campanhas há mais de 20 anos e “vai assessorar, ajudar a trazer ideias”.

A jornalista integrará a equipe de comunicação da campanha, mas não deverá ser a coordenadora, segundo a assessoria do senador.

“Nós achamos que há um esgotamento desse modelo centrado num único marqueteiro”, disse o deputado Marcus Pestana, presidente do PSDB de Minas. “Andrea vai ter uma participação essencial nesse sentido de uma coordenação colegiada.”

02
maio
11

Andrea Neves: Xuxa conhece Valores de Minas

Andrea Neves: ao lado da presidente do Servas Xuxa comentou: “Eu vim conhecer, vim aprender, imaginar coisas para a minha fundação.”

A apresentadora Xuxa veio conhecer os projetos sociais que tiveram início no Governo Aécio Neves.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Apresentadora Xuxa faz visita ao programa Valores de Minas

Fonte: Agência Minas

A presidente do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas)Andrea Neves da Cunha, recebeu, nesta sexta-feira (29), a apresentadora de televisão Xuxa, que preside há 22 anos a Fundação Xuxa Meneghel, voltada para projetos sociais e campanhas nacionais em defesa dos direitos da infância.

Após visita ao Memorial Minas Gerais – Vale, parceria entre o Governo do Estado e a Vale que integra o Circuito Cultural Praça da Liberdade, Xuxa foi recebida pela presidente do Servas no Plug Minas – Centro de Formação e Experimentação Digital, no bairro Horto, em Belo Horizonte, onde funcionou uma unidade da Febem, para conhecer de perto os projetos sociais de Minas Gerais e trocar experiência sobre futuros projetos, parcerias e campanhas relacionadas aos direitos das crianças e adolescentes.

Xuva conheceu as atividades do programa Valores de Minas, o primeiro núcleo a integrar o Plug Minas, inaugurado em junho de 2009. “É um espaço muito bem utilizado, e os jovens têm muita garra. Tem um mês só que estão ensaiando e a apresentação foi linda. Esta visita serve de exemplo, eu vim conhecer, vim aprender, imaginar coisas para a minha fundação. É incrível poder dar isso para os jovens, essa oportunidade, esse carinho que é tão evidente aqui”, disse a apresentadora após ser recebida pelos jovens, com apresentação de música, dança e dos tambores do Valores de Minas.

presidente do ServasAndrea Neves da Cunha, destacou a importância da visita de Xuxa ao Programa Valores de Minas. “A presença dela aqui, entre nossos jovens, é uma gesto de afeto e delicadeza. Ela é uma pessoa presente no imaginário de milhares de pessoas, e veio aqui admirar e fortalecer o esforço de cada uma. Sua presença alimenta ainda mais os sonhos de cada um dos nossos jovens”, disse.

Plug Minas

Nos núcleos do Plug Minas, estudantes de 14 a 24 anos do Ensino Médio de escolas da rede pública do Estado desenvolvem competências e atividades para lidar com os mais variados aspectos da tecnologia e da cultura digital. No espaço, os jovens participam de atividades educacionais totalmente gratuitas, como produção de áudio, vídeo, design gráfico, empreendedorismo, teatro, dança, desenvolvimento de games, entre outros.

Projeto Estruturador Plug Minas ocupa espaço de 70 mil metros quadrados e cada um dos núcleos já instalados é mantido por parceiros da iniciativa privada e, atende, a cada ano, cerca de três mil pessoas, entre jovens e professores como o Oi Kabum, Empreendedorismo Juvenil, Sebrae e Inove – Jogos Digitais.

Valores de Minas

O primeiro núcleo do Plug Minas, o Valores de Minas, foi criado em 2005 pelo Governo de Minas e pelo Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas) para oferecer a estudantes da rede pública oportunidades de crescimento por meio de oficinas artístico-culturais de teatro, circo, dança, música e artes plásticas. Os mais de 500 jovens selecionados a cada ano recebem mochila, uniforme, vale-transporte e refeições. Na primeira e na segunda, os alunos frequentam as oficinas de artes oferecidas e se concentram na área de seu maior interesse. Na última etapa, criam um espetáculo que integra todas as linguagens estudadas.

Ao final de cada ano as atividades culminam com um espetáculo multicultural, que tem a participação de todos os jovens, desde o roteiro até a trilha musical e adereços. Já atendeu mais de 3.500 pessoas, entre estudantes, multiplicadores e ex-alunos que fizeram o curso de extensão. Até 2010, foram apresentados seis espetáculos, “Delírio Barroco”, “Estrada dos Sonhos”, “Opara”, “Sempre Alegre Miguilim”, “Metrópole” e o “Herói e Armadura”, aplaudidos por mais de 30 mil pessoas, elogiados pelo público e crítica.

02
maio
11

Andrea Neves apresenta o programa Valores de Minas a Xuxa que veio a BH conhecer programas sociais iniciados no Governo Aécio

Xuxa visita Valores de Minas

Fonte: Glória Tupinambás  – Estado de Minas

TROCA DE EXPERIÊNCIAS

No palco, 150 jovens carentes. Na plateia, uma convidada especial: Xuxa Meneghel. A apresentadora de TV visitou ontem o Valores de Minas, um dos núcleos do programa Plug Minas – Centro de Formação e Experimentação Digital, no Bairro Horto, Região Leste da capital. Cercada por mais de 2 mil fãs, ela conheceu um pouco dos projetos artísticos e culturais desenvolvidos no espaço com estudantes da rede pública da Grande BH e buscou inspiração para as atividades da Fundação Xuxa Meneghel, no Rio de Janeiro (RJ).

O Valores de Minas é mantido pelo governo de Minas e pelo Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas) no espaço onde, até 2003, funcionou uma unidade da Febem. Depois de totalmente reformado, o antigo centro de internação de menores infratores agora promove atividades que, em 2010, envolveram 15 mil jovens com idade entre 14 e 24 anos.

“É difícil imaginar que o espaço abrigava a Febem. Vim para conhecer um pouco, trocar figurinhas”, disse Xuxa. Segundo a presidente do Servas, Andrea Neves, “trocar experiências é importante para fortalecer projetos que garantam os direitos das crianças e adolescentes”.

Veja o Vídeo

02
maio
11

Andrea Neves e Xuxa no Plug Minas

Andrea Neves, presidente do Servas, mostrou a Xuxa os programas socais desenvolvidos pelo Governo de Minas.

Andrea Neves: Plug Minas

Fonte: Hoje em Dia

07
jun
10

Andrea Neves lidera ações de transformação social em Minas Gerais, ex-presidente do Servas faz balanço dos últimos 7 anos

Parcerias que rendem frutos

Programas sociais mudaram realidade de pessoas carentes em todo Estado

Fonte: Renata Nunnes – O Tempo

Balanço: Após sete anos à frente do Servas, Andrea Neves diz que trabalho conjunto resultou no sucesso das ações

O tom de voz determinado da mulher conhecida como grande articuladora, de repente, fica carregado de emoção. Ela para, respira e, tomada de satisfação, começa a fazer um balanço dos últimos sete anos.

Foram tempos dedicados à frente de projetos desenvolvidos pelo Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), que mudaram, para melhor, a vida de pessoas de todas as idades.

Para a ex-presidente do Servas, Andrea Neves, a construção de programas sociais requer persistência. “Nenhum governo, por mais correto e bem intencionado que seja tem condição de enfrentar sozinho a questão social na gravidade com que ela existe no nosso país. Isso não tem relação apenas com recursos ou vontade política. Quando somos capazes de estabelecer parcerias, conseguimos fazer com que iniciativas andem mais rápido e cheguem mais longe”, diz Andrea, que durante o governo do irmão, Aécio Neves, dirigiu a entidade.

Parcerias firmadas com empresas, entidades de classe, ONGs e cidadãos comuns garantiram que os programas do Servas fossem respeitados e até copiados no Brasil e no exterior. Digna Idade, Brinquedoteca, Valores de Minas, Vita Vida e Vozes do Morro são alguns dos projetos que saíram do papel para transformar a realidade de idosos, crianças, jovens, pacientes de hospitais e moradores de vilas e aglomerados. Eles ganharam humanização, resgataram valores e a autoestima. Alguns dos beneficiados se encontraram com o lúdico por meio da leitura. Outros conheceram a arte, a música e sua própria cultura. Sem contar os que se libertaram da fome em ação contra o desperdício.

Andrea Neves não esteve sozinha nas conquistas. Tinha a companhia de profissionais que, segundo ela, fizeram do trabalho a própria vida. “Muitas vezes, não basta ter uma boa ideia se você não tem pessoas comprometidas. Se não for assim, nenhuma questão sai do papel”, afirma. Para Andrea, o esforço da equipe do Servas somado ao dos parceiros explica o fato de o Servas ter conseguido implantar projetos que têm feito diferença na vida das pessoas.

O serviço também atuou em fortes campanhas de mobilização social, como o “Volta”, que convocava a população na busca de pessoas desaparecidas. E quem não se lembra do filme da campanha contra a exploração sexual de crianças em que uma menina pedia “socorro” por meio de uma canção?

Outra grande mobilização ocorreu em torno dos cuidados com os idosos e teve a participação do cantor Zezé di Camargo. Uma moda de viola dizia que um pai cuida de dez filhos, mas dez filhos não cuidam de um pai. “É tão verdadeiro esse sentimento de que alguma coisa está acontecendo em nossa sociedade. Estão se esfacelando laços, que deveriam ser de permanente afeto. A questão do idoso é dolorosa. Eles não podem ser excluídos da sociedade”, disse Andrea Neves.

 

Qual a avaliação que a senhora faz do trabalho realizado no Servas? Foi um trabalho construído aos pouquinhos e que hoje nos enche de surpresa em perceber que conseguimos abraçar, em tão pouco tempo, tantas pessoas. O Servas, hoje, tem programas muito diferenciados. Eles nos permitem estar em todas as regiões do Estado. Construir programas sociais requer muita persistência. Não trabalhamos com estatísticas, ajudamos pessoas de verdade.

A senhora acredita que os programas desenvolvidos e reestruturados durante sua gestão vão ser mantidos ao longo de outros governos? Me preocupa muito essa questão de um governo que começa e resolve anular tudo que foi feito antes. Acho uma covardia com a sociedade brasileira. Tenho um profundo respeito pelas ações desenvolvidas por entidades sociais de Minas. Portanto, fechamos muitas parcerias. Somamos esforços e o resultado cria condições para que os projetos existam além de qualquer gestão política. Só as parcerias garantem as condições de continuidade dos programas.

Foram muitas as ações desenvolvidas pela equipe do Servas. Há algum dos programas que tenha tocado a senhora de maneira especial? O Digna Idade. Ele é voltado para idosos que vivem em instituições de longa permanência, os antigos asilos. Muitos deles têm seus vínculos familiares esgotados, vivem sozinhos.

Como nasceu o Digna Idade? Ele nasceu de uma parceria com o Ministério Público Estadual. Em 2003, o órgão tinha um diagnóstico muito duro sobre a realidade de grande parte das entidades do tipo que existem em Minas Gerais. Com isso, priorizamos o tema.

Como o programa atua? Ele atua em três frentes diferenciadas: capacita a gestão da entidade, capacita os cuidadores de idosos e possibilita a reforma e a aquisição de equipamentos necessários para cada instituição. O Digna Idade também se soma à campanha de mobilização social.

De fato, o Servas priorizou campanhas de mobilização social como a dos desaparecidos e a da violência doméstica. Como a senhora avalia essas ações? Foram campanhas fortes ao longo dos últimos anos. Todas criadas com o objetivo de sensibilizar as pessoas sobre questões presentes na vida de cada um de nós. Tivemos, obviamente, resultados concretos. No caso da atenção aos idosos, por exemplo, houve um aumento no número de denúncias de violência.

Qual das ações alcançou mais retorno? A dos idosos. Essa campanha alcançou retorno inclusive no exterior. O comercial foi traduzido para outras línguas. Recebemos comunicados da Itália e dos Estados Unidos. Ocorreram correntes na internet divulgando a campanha e isso foi muito gratificante.

E o programa Vozes do Morro? Ele também foi bastante divulgado e revelou grandes talentos. À primeira vista, ele tem uma função de revelar talentos na área musical de pessoas que moram em vilas, favelas e aglomerados. Mas, na verdade, tem um sentido muito maior, porque trata de reforçar a identidade e criar valores nessas comunidades. Claro que você tem um resultado individual dos artistas. Mas o que é mais precioso para a gente no projeto é como a sociedade passa a se organizar em torno da criatividade e da solidariedade.

Outro projeto bastante reconhecido é o Vita Vida. A ideia pode ser multiplicada em todo o país? Estamos comemorando em 2010, com muito orgulho, a primeira parceria com a Pastoral da Criança e ela envolve o repasse da tecnologia do Vita Vida. Ao longo do último ano, a pastoral experimentou o uso do alimento desidratado nas crianças atendidas pela entidade. O resultado é extraordinário.

Quantas refeições já foram distribuídas por meio do Vita Vida? Foram 12 milhões. Um grande exemplo do combate às duas piores chagas da sociedade: o desperdício e a fome. As fábricas recebem excedentes de alimentos de produtores rurais e de comerciantes da Ceasa. Frutas e legumes que não servem para ser vendidos, mas estão em perfeitas condições de consumo.

O que o trabalho no Servas significou para a senhora? Eu também me transformei muito. Às vezes, a gente começa a trabalhar motivada para tentar colaborar com a transformação da vida dos outros e não percebe o quanto esse trabalho também nos transforma ao longo do processo. Essa foi uma experiência definitiva na minha vida.

A senhora descarta qualquer possibilidade de, no futuro, candidatar-se às eleições? As hipóteses estiveram descartadas no passado e todas estão descartadas no futuro. Faço política como instrumento para colaborar com a sociedade, para ajudar a transformá-la. Tem pessoas que optam por disputar um mandato eletivo, outras não.

Quais são os planos da senhora para o futuro? A partir de julho, estarei ao lado de Aécio Neves e Antonio Anastasia dando a minha contribuição na campanha eleitoral. Depois, vamos esperar chegar mais perto para enxergar melhor. (RN)

21
abr
10

Andrea e Aécio Neves participam da mostra Centenário Tancredo Neves, no Museu Histórico Nacional

Minas em São Paulo: Namoro olho no olho

Fonte: Hildegard de Angel – Jornal do Brasil

Kubitschek, Niemeyer, Maia, Aleixo, Gouthier, Chagas Freitas, as forças políticas e sociais, do Rio e de Minas, unidas em torno da memória de Tancredo Neves

Mineiro é conciliador, mineiro é multiplicador, mineiro respeita o adversário,  prestigia as diferenças e tem uma capacidade plural de harmonizar. Foi o que se viu na abertura da mostra Centenário Tancredo Neves, no Museu Histórico Nacional, cuja frequência passeava do Chaguismo ao Juscelinismo, dos recentes Maia aos antigos Aleixo ao novíssimo Anastasia, atual governador das Gerais e candidato a próximo. Do jornalismo político, de Villas-Bôas Corrêa a Roberto D’Ávila, passando por Cícero Sandroni.

A exposição faz uma síntese do essencial na História percorrida pelo estadista, reproduzindo fielmente o conteúdo do Memorial Tancredo Neves, de São João Del Rei. E a gente percebe que Minas, mesmo quando adormecida em termos nacionais, como agora, permanece desperta em sua essência, e que seu poder independe de retratos em paredes de repartições  públicas. Vai muito além. Minas é memória. Minas guarda valores. “Essa gente das Minas Gerais não se submete nunca” – a frase, tomei emprestada do português conde de Assumar, quando mandou matar o insurgente mineiro Filipe dos Santos.

O conde também disse “mineiro tem por brio fazer revolução”. Mas este não é o perfil dos mineiros Neves, antes de tudo gente de boa conversa e paz. E lá vem Aécio Neves, subindo a escada rolante do museu, seguido de José Serra, e emprestando ao paulista um tantão de seu carisma. Colado em Aécio, até mesmo o fechadão Serra consegue angariar simpatias, despertar sorrisos, pois, convenhamos, esta eleição pra presidente está mais para “o pleito da antipatia”, conforme manchete muito bem sacada da revista mineira Viver Brasil.

Também fazia parte do evento no MHN, o lançamento, por Mauro Santayana, dos livros A política como razão: as idéias e o tempo de Tancredo Neves e Tancredo, o verbo republicano, com uma seleção dos mais importantes discursos do estadista. O jornalista começou a autografar às seis e meia da tarde e ficou lá, de caneta em punho, até 10 e meia. Tudo pilotado pela eficiência de Andréa Neves, que, com essa exposição, brinda o Rio e o Brasil com uma certa sensação de nostalgia, do ‘poderia ter sido’, um gostinho daquilo que, com Aécio, um dia poderá ser. Eu disse com Aécio…

Link: http://jb.ideavalley.com.br/flip/

31
mar
10

Circuito Cultural Praça da Liberdade: veja vídeo com versão completa do flash mob




junho 2017
S T Q Q S S D
« jan    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Mais Acessados

  • Nenhum

%d blogueiros gostam disto: