Posts Tagged ‘Andrea Neves e Trancredo

02
dez
11

Andrea Neves acompanha gravação do Playing for Change que escolheu artistas do Vozes do Morro para participar do próximo DVD

Fonte: TV Servas

Pela segunda vez no Brasil, o Playing for Change escolheu o Vozes do Morro – programa de iniciativa do Servas – e gravou, no dia 26 de novembro, na Barragem Santa Lúcia (Morro do Papagaio) com Tom Nascimento e Rafael Dias, selecionados de 2008, para incluir no próximo DVD da banda, projeto que une músicos de rua do mundo inteiro em torno de clássicos pop.

Entre outras ações em conjunto com o Servas, artistas do Playing for Change se apresentaram, no dia 23 de novembro no Centro Mineiro de Referência em Resíduos — CMRR, na programação do 10º Festival Lixo e Cidadania, com palestra e pocket show para cerca de 1.000 catadores de todo o país, reunidos na Capital.

No dia 24, ministraram oficina na obra social da Maria Pretinha, banda de pop rock, selecionada do Vozes do Morro de 2008, que atende 200 crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social no Bairro São Bernardo. Ainda no dia 24, os artistas do playing for Change se apresentaram para os jovens do Programa Valores de Minas, programa social do Servas que oferece oficinas de arte cultura (teatro, música, dança, artes plásticas, etc.)

Conheça outro vídeo do Playing for Change

16
jul
11

Andrea Neves recebe a mais alta comenda do cooperativismo mineiro

Este slideshow necessita de JavaScript.

Presidente do Servas recebe homenagem da Ocemg/Sescoop-MG

“O cooperativismo é uma ferramenta importante para fortalecer as economias e hoje é reconhecido mundialmente, além de ser um segmento em crescimento constante” – com essas palavras o presidente do Sistema Ocemg/Sescoop-MG, Ronaldo Scucato, abriu a solenidade comemorativa ao 89º Dia Internacional do Cooperativismo, realizada nesta quarta-feira (13/07), em Belo Horizonte.

A cerimônia, que contou com a presença de quase 500 pessoas, entre autoridades estaduais, deputados, representantes e lideranças cooperativistas, foi prestigiada pelo governador Antonio Anastasia, que destacou a importância do segmento para Minas. “O cooperativismo é fundamental não só pela sua presença econômica em diversos setores, mas também pelo fato de ser uma atividade solidária, que estimula a harmonia e a formação de capital junto ao trabalho para o desenvolvimento do nosso Estado,” afirmou.

Ao destacar assuntos que movimentam a pauta do cooperativismo atualmente, Scucato citou o Código Florestal que, segundo ele, precisa da força e união de todos para que seja aprovado de forma a contemplar o produtor rural. Também se referiu à gestão cooperativista para afirmar: “temos que perseguir, diuturnamente, o modelo pautado na gestão ética, moral e competente”.

O superintendente da Organização das Cooperativas Brasileiras Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Renato Nobile, também esteve presente ao evento e enfatizou a importância do tema escolhido pela Aliança Cooperativa Internacional (ACI), focado na juventude cooperativista. “A juventude é vigorosa e a ela compete o amanhã”, disse.

Mérito Cooperativista

Durante a solenidade, foi outorgada a Medalha do Mérito Cooperativista “Paulo de Souza Lima”, mais alta comenda do cooperativismo mineiro. Este ano a homenageada foi a presidente do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), Andrea Neves. Ao justificar a homenagem, Ronaldo Scucato, disse que o nome de Andrea foi aprovado por unanimidade pelos conselhos do Sistema Ocemg/Sescoop-MG. “É uma honra entregar-lhe a Medalha do Mérito Cooperativista a uma cidadã letra D: democrata, diplomata, defensora, dedicada e distributiva”, pontuou.

Por sua vez, Andrea Neves, com simplicidade, emocionou a todos em seu discurso consubstanciado de recomendações de solidariedade, ajuda mútua e amor ao próximo. O papel e a responsabilidade das pessoas públicas foram abordados por ela num sentido maior, considerando a percepção e preocupação com aqueles que mais precisam ou que se encontram no abandono. “As pessoas do bem sempre fazem dois questionamentos – o que posso fazer para melhorar a situação – esses ajudam muito, e outros perguntam o que precisa ser feito – esses transformam o mundo”, afirmou.

A condecoração foi instituída em 1991, com o objetivo de premiar pessoas que se destacam no trabalho em prol do crescimento e desenvolvimento do cooperativismo.

Homenagens

As cooperativas mineiras que completam 50 anos em 2011 também foram homenageadas na ocasião.  Acompanhado do vice-presidente do Sistema Ocemg/Sescoop-MG, Luiz Gonzaga Viana Lage, o presidente Ronaldo Scucato entregou uma placa às seis entidades cinquentenárias reconhecendo a importante contribuição de cada uma para o fortalecimento do cooperativismo mineiro. As homenageadas deste ano foram: Cooperativa de Laticínios Teófilo Otoni (CLTO), Cooperativa Regional dos Cafeicultores do Vale do Rio Verde (Cocarive), Cooperativa dos Cafeicultores da Zona de Três Pontas (Cocatrel), Cooperativa Agropecuária de Patrocínio (Coopa), Cooperativa dos Produtores Rurais de Itaúna (Cooperita) e Cooperativa de Consumo, Editora e de Cultura Médica (Coopmed).

O presidente da Cocarive, Ralph Junqueira, falou em nome das homenageadas e referenciou o trabalho dos cooperativistas na consolidação dessas organizações, especialmente, aqueles que deram as primeiras contribuições para que essas cooperativas fossem criadas.

Juventude Cooperativista

Este ano, a Aliança Cooperativa Internacional (ACI), que sempre sugere um tema norteador para as comemorações, optou por “Juventude, o futuro do cooperativismo”. O objetivo é sensibilizar mais jovens sobre o caráter empreendedor e o papel de inclusão social do cooperativismo, além de levar à sociedade mais conhecimento sobre os benefícios, valores e princípios do movimento. Vale destacar que 2011 é o Ano Internacional da Juventude.

O Sistema Ocemg/Sescoop-MG rendeu homenagem aos jovens cooperativistas mineiros na pessoa de Gilberto Silva Júnior, que segundo o presidente, representa disposição, dedicação e paixão pela doutrina. Filho de cooperativistas, ele é estudante de direito, ex-diretor presidente e atual diretor operacional do Coopa Jovem (Grupo de Jovens Cooperativistas de Patrocínio) e participante ativo dos Encontros Estaduais de Jovens Cooperativistas Mineiros do Sistema.

Histórico

Celebrado em todo o mundo no primeiro sábado do mês de julho, o Dia Internacional do Cooperativismo reconhece a importância das cooperativas para o desenvolvimento econômico, social e cultural das sociedades.

A data foi estipulada em 1923, em Paris, sendo adotada pela Organização das Nações Unidas (ONU) a partir de 1995. A iniciativa também foi ratificada pela Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Atualmente o movimento cooperativista está presente em mais de 100 países e soma mais de 800 milhões de pessoas em todo o mundo, sendo responsável por cerca de 100 milhões de postos de trabalho.

Crédito: http://www.ocemg.org.br/pagina/887/sistema-ocemg-sescoop-mg-comemora-dia-internacional-do-cooperativismo.aspx

27
maio
11

Andrea Neves inaugura em Araçuai o 16º Centro Solidário de Educação Infantil

Este slideshow necessita de JavaScript.

Servas entrega Centro Solidário de Educação Infantil em Araçuaí

Fonte: Servas

Em apoio aos municípios, oferecendo infraestrutura de qualidade para o atendimento de crianças até 6 anos, em várias regiões do estado, o Serviço Voluntário de Assistência Social – Servas entregou, nesta quinta-feira, 26, mais um Centro Solidário de Educação Infantil, em Araçuaí, na Região Jequitinhonha/Mucuri.

Graças a investimentos da prefeitura e de parceiros “conseguimos erguer essa obra que encanta a todos nós e tem como componente diferencial o afeto. É fruto de parcerias, responsabilidades e compromissos honrados e reforça a expectativa de um futuro melhor para as nossas crianças”, disse a presidente do Servas, Andrea Neves da Cunha, ao entregar a unidade.

Esta é o  Centro Solidário construído e implementado pelo Servas em parceria com o Governo de Minas, com recursos próprios e captados no âmbito do Fundo para Infância e Adolescência – FIA Estadual. Mais duas unidades serão entregues no próximo mês em Porteirinha e Taiobeiras, no Norte de Minas.

Para o secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Wander Borges, essa é uma obra missionária: “temos que zelar pelas nossas crianças e ajudar o construir um mundo diferente”, disse. “Receber esse projeto, onde estão sendo acolhidos filhos de pais que trabalham no corte de cana e que muito fará por nossas crianças é motivo de alegria para todos nós”, avaliou o prefeito de Araçuaí, Aécio Silva Jardim.

As crianças ficam no Centro Solidário em horário integral, onde recebem todo o material para atividades diárias, lanches e refeições. “Além de sair para o trabalho tranqüilos por saber que nossos filhos estão seguros e nas mãos de profissionais qualificados, também vamos somar à renda da família o que gastávamos na educação”, ressaltou Selma Alves de Miranda, mãe de duas crianças de 2 e 4 anos. A educadora Thalita Vicente também ressaltou a importância da obra para a região, como meio de ampliar e aprimorar a educação infantil: “estávamos precisando de uma estrutura como essa para acolher nossas crianças”, disse.

O Centro, entregue ao município de Araçuaí, no bairro Nova Esperança, para uso imediato, em área construída de cerca de 700m², com todos os ambientes equipados, tem salas de atividades, cozinha e espaços para administração com mobiliário, brinquedos, livros, jogos, utensílios, computadores e equipamentos eletroeletrônicos. As crianças recebem uniformes –camiseta, calça, bermuda, agasalho e mochila – e os profissionais que vão trabalhar também já iniciam as atividades com camisetas e aventais.

O projeto arquitetônico foi desenvolvido voluntariamente pela empresa Dávila Arquitetura, de Belo Horizonte, de acordo com as diretrizes do Estatuto da Criança e do Adolescente e a legislação vigente. São dois projetos para atender, em horário integral, 120 e 200 crianças, em área construída de cerca de 600 a 700 m² e mais 140 m² de varanda coberta. Tem dois berçários, sala de leitura, brinquedoteca, salas de atividades divididas por faixa etária, refeitório e área externa de lazer, entre outras instalações e equipamentos.

Todos os profissionais que atuam nos Centros Solidários, educadores e infantis e de apoio são capacitados integralmente com recursos do Governo de Minas por meio da Sedese. A capacitação oferece qualificação específica para o exercício de atividades pedagógicas e administrativas no atendimento a crianças que serão recebidas na unidade.

Na inauguração, o Centro Solidário é entregue pelo Servas à administração do poder público municipal, também responsável pela cessão do terreno, infra-estrutura e recursos humanos.

Além de Araçuaí, serão entregues pelo Servas, no próximo mês, os Centros Solidários de Porteirinha e Taiobeiras. Outros 15 estão em funcionamento em Além Paraíba, Bocaiúva, Campos Gerais, Caratinga, Conselheiro Pena, Felixlândia, Governador Valadares, Ibirité, Itamarandiba, Jequitinhonha, Pedro Leopoldo, Ribeirão das Neves, Salinas, São João del-Rei e Teófilo Otoni.

02
maio
11

Andrea Neves apresenta o programa Valores de Minas a Xuxa que veio a BH conhecer programas sociais iniciados no Governo Aécio

Xuxa visita Valores de Minas

Fonte: Glória Tupinambás  – Estado de Minas

TROCA DE EXPERIÊNCIAS

No palco, 150 jovens carentes. Na plateia, uma convidada especial: Xuxa Meneghel. A apresentadora de TV visitou ontem o Valores de Minas, um dos núcleos do programa Plug Minas – Centro de Formação e Experimentação Digital, no Bairro Horto, Região Leste da capital. Cercada por mais de 2 mil fãs, ela conheceu um pouco dos projetos artísticos e culturais desenvolvidos no espaço com estudantes da rede pública da Grande BH e buscou inspiração para as atividades da Fundação Xuxa Meneghel, no Rio de Janeiro (RJ).

O Valores de Minas é mantido pelo governo de Minas e pelo Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas) no espaço onde, até 2003, funcionou uma unidade da Febem. Depois de totalmente reformado, o antigo centro de internação de menores infratores agora promove atividades que, em 2010, envolveram 15 mil jovens com idade entre 14 e 24 anos.

“É difícil imaginar que o espaço abrigava a Febem. Vim para conhecer um pouco, trocar figurinhas”, disse Xuxa. Segundo a presidente do Servas, Andrea Neves, “trocar experiências é importante para fortalecer projetos que garantam os direitos das crianças e adolescentes”.

Veja o Vídeo

31
dez
10

Andrea Neves volta para o Servas e Anastasia mantém espaço das mulheres no Governo de Minas

O governador Antonio Anastasia (PSDB) anunciou oficialmente quarta-feira (29.12), no Palácio Tiradentes, a sua nova equipe para os próximos quatros anos. Andrea Neves que ficou à frente do Servas nos últimos oito anos, retorna à instituição com a finalidade de dar continuidade a um modelo empreendedor e de sucesso que ajudou a ampliar as ações sociais em Minas Gerais.  O time feminino do novo governo de Minas conta ainda com as secretárias: de Planejamento e Gestão Renata Vilhena;  de Cultura, Eliane Parreiras; de Desenvolvimento Econômico, Dorothea Werneck; da Casa Civil e Relações Institucionai, Maria Coeli Simões; e Educação, Ana Lúcia Gazolla.

06
ago
10

Almoço com Elas: Andrea Neves participa do evento promovido pela Revista Encontro

Fonte: Revista Encontro

Em homenagem às mulheres mineiras, a revista Encontro promoveu em sua sede, no bairro Belvedere, o primeiro almoço intitulado Encontro com Elas. No evento, 20 mulheres estiveram presentes, dentre elas, a presidente do Servas, Andrea Neves, e a primeira-dama da capital, Regina Lacerda, esposa do prefeito Márcio Lacerda. Fotos: Barbara Dutra.

Regina Lacerda, Renata Vilhena e Andrea Neves

07
jun
10

Andrea Neves lidera ações de transformação social em Minas Gerais, ex-presidente do Servas faz balanço dos últimos 7 anos

Parcerias que rendem frutos

Programas sociais mudaram realidade de pessoas carentes em todo Estado

Fonte: Renata Nunnes – O Tempo

Balanço: Após sete anos à frente do Servas, Andrea Neves diz que trabalho conjunto resultou no sucesso das ações

O tom de voz determinado da mulher conhecida como grande articuladora, de repente, fica carregado de emoção. Ela para, respira e, tomada de satisfação, começa a fazer um balanço dos últimos sete anos.

Foram tempos dedicados à frente de projetos desenvolvidos pelo Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), que mudaram, para melhor, a vida de pessoas de todas as idades.

Para a ex-presidente do Servas, Andrea Neves, a construção de programas sociais requer persistência. “Nenhum governo, por mais correto e bem intencionado que seja tem condição de enfrentar sozinho a questão social na gravidade com que ela existe no nosso país. Isso não tem relação apenas com recursos ou vontade política. Quando somos capazes de estabelecer parcerias, conseguimos fazer com que iniciativas andem mais rápido e cheguem mais longe”, diz Andrea, que durante o governo do irmão, Aécio Neves, dirigiu a entidade.

Parcerias firmadas com empresas, entidades de classe, ONGs e cidadãos comuns garantiram que os programas do Servas fossem respeitados e até copiados no Brasil e no exterior. Digna Idade, Brinquedoteca, Valores de Minas, Vita Vida e Vozes do Morro são alguns dos projetos que saíram do papel para transformar a realidade de idosos, crianças, jovens, pacientes de hospitais e moradores de vilas e aglomerados. Eles ganharam humanização, resgataram valores e a autoestima. Alguns dos beneficiados se encontraram com o lúdico por meio da leitura. Outros conheceram a arte, a música e sua própria cultura. Sem contar os que se libertaram da fome em ação contra o desperdício.

Andrea Neves não esteve sozinha nas conquistas. Tinha a companhia de profissionais que, segundo ela, fizeram do trabalho a própria vida. “Muitas vezes, não basta ter uma boa ideia se você não tem pessoas comprometidas. Se não for assim, nenhuma questão sai do papel”, afirma. Para Andrea, o esforço da equipe do Servas somado ao dos parceiros explica o fato de o Servas ter conseguido implantar projetos que têm feito diferença na vida das pessoas.

O serviço também atuou em fortes campanhas de mobilização social, como o “Volta”, que convocava a população na busca de pessoas desaparecidas. E quem não se lembra do filme da campanha contra a exploração sexual de crianças em que uma menina pedia “socorro” por meio de uma canção?

Outra grande mobilização ocorreu em torno dos cuidados com os idosos e teve a participação do cantor Zezé di Camargo. Uma moda de viola dizia que um pai cuida de dez filhos, mas dez filhos não cuidam de um pai. “É tão verdadeiro esse sentimento de que alguma coisa está acontecendo em nossa sociedade. Estão se esfacelando laços, que deveriam ser de permanente afeto. A questão do idoso é dolorosa. Eles não podem ser excluídos da sociedade”, disse Andrea Neves.

 

Qual a avaliação que a senhora faz do trabalho realizado no Servas? Foi um trabalho construído aos pouquinhos e que hoje nos enche de surpresa em perceber que conseguimos abraçar, em tão pouco tempo, tantas pessoas. O Servas, hoje, tem programas muito diferenciados. Eles nos permitem estar em todas as regiões do Estado. Construir programas sociais requer muita persistência. Não trabalhamos com estatísticas, ajudamos pessoas de verdade.

A senhora acredita que os programas desenvolvidos e reestruturados durante sua gestão vão ser mantidos ao longo de outros governos? Me preocupa muito essa questão de um governo que começa e resolve anular tudo que foi feito antes. Acho uma covardia com a sociedade brasileira. Tenho um profundo respeito pelas ações desenvolvidas por entidades sociais de Minas. Portanto, fechamos muitas parcerias. Somamos esforços e o resultado cria condições para que os projetos existam além de qualquer gestão política. Só as parcerias garantem as condições de continuidade dos programas.

Foram muitas as ações desenvolvidas pela equipe do Servas. Há algum dos programas que tenha tocado a senhora de maneira especial? O Digna Idade. Ele é voltado para idosos que vivem em instituições de longa permanência, os antigos asilos. Muitos deles têm seus vínculos familiares esgotados, vivem sozinhos.

Como nasceu o Digna Idade? Ele nasceu de uma parceria com o Ministério Público Estadual. Em 2003, o órgão tinha um diagnóstico muito duro sobre a realidade de grande parte das entidades do tipo que existem em Minas Gerais. Com isso, priorizamos o tema.

Como o programa atua? Ele atua em três frentes diferenciadas: capacita a gestão da entidade, capacita os cuidadores de idosos e possibilita a reforma e a aquisição de equipamentos necessários para cada instituição. O Digna Idade também se soma à campanha de mobilização social.

De fato, o Servas priorizou campanhas de mobilização social como a dos desaparecidos e a da violência doméstica. Como a senhora avalia essas ações? Foram campanhas fortes ao longo dos últimos anos. Todas criadas com o objetivo de sensibilizar as pessoas sobre questões presentes na vida de cada um de nós. Tivemos, obviamente, resultados concretos. No caso da atenção aos idosos, por exemplo, houve um aumento no número de denúncias de violência.

Qual das ações alcançou mais retorno? A dos idosos. Essa campanha alcançou retorno inclusive no exterior. O comercial foi traduzido para outras línguas. Recebemos comunicados da Itália e dos Estados Unidos. Ocorreram correntes na internet divulgando a campanha e isso foi muito gratificante.

E o programa Vozes do Morro? Ele também foi bastante divulgado e revelou grandes talentos. À primeira vista, ele tem uma função de revelar talentos na área musical de pessoas que moram em vilas, favelas e aglomerados. Mas, na verdade, tem um sentido muito maior, porque trata de reforçar a identidade e criar valores nessas comunidades. Claro que você tem um resultado individual dos artistas. Mas o que é mais precioso para a gente no projeto é como a sociedade passa a se organizar em torno da criatividade e da solidariedade.

Outro projeto bastante reconhecido é o Vita Vida. A ideia pode ser multiplicada em todo o país? Estamos comemorando em 2010, com muito orgulho, a primeira parceria com a Pastoral da Criança e ela envolve o repasse da tecnologia do Vita Vida. Ao longo do último ano, a pastoral experimentou o uso do alimento desidratado nas crianças atendidas pela entidade. O resultado é extraordinário.

Quantas refeições já foram distribuídas por meio do Vita Vida? Foram 12 milhões. Um grande exemplo do combate às duas piores chagas da sociedade: o desperdício e a fome. As fábricas recebem excedentes de alimentos de produtores rurais e de comerciantes da Ceasa. Frutas e legumes que não servem para ser vendidos, mas estão em perfeitas condições de consumo.

O que o trabalho no Servas significou para a senhora? Eu também me transformei muito. Às vezes, a gente começa a trabalhar motivada para tentar colaborar com a transformação da vida dos outros e não percebe o quanto esse trabalho também nos transforma ao longo do processo. Essa foi uma experiência definitiva na minha vida.

A senhora descarta qualquer possibilidade de, no futuro, candidatar-se às eleições? As hipóteses estiveram descartadas no passado e todas estão descartadas no futuro. Faço política como instrumento para colaborar com a sociedade, para ajudar a transformá-la. Tem pessoas que optam por disputar um mandato eletivo, outras não.

Quais são os planos da senhora para o futuro? A partir de julho, estarei ao lado de Aécio Neves e Antonio Anastasia dando a minha contribuição na campanha eleitoral. Depois, vamos esperar chegar mais perto para enxergar melhor. (RN)




agosto 2017
S T Q Q S S D
« jan    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Mais Acessados

  • Nenhum